17/08/2022

Diferença entre Loja Virtual e E-commerce

 

Diferença entre loja virtual e e-commerce

Outro conceito que costuma se confundir com o e-commerce é a loja virtual. 

Muitas vezes, utilizamos como sinônimos: criar um e-commerce, por exemplo, geralmente significa criar uma loja virtual. Mas existe uma diferença.

Assim como marketplaces, lojas virtuais também são apenas um dos canais de vendas do e-commerce. 

São ambientes virtuais que pertencem a apenas um lojista, que tem a sua própria estrutura de vendas. Geralmente em uma plataforma de e-commerce que oferece a interface de vendas e de gestão do negócio.

Lojas virtuais são a forma mais tradicional de vendas pela internet. 

Mas isso não quer dizer que o e-commerce se resuma a elas. 

Hoje existem outros canais de vendas que fazem parte do comércio eletrônico e que também podem ser usados pelos lojistas para vender mais.

Como funciona o e-commerce?

Para entender como funciona um e-commerce, podemos analisar o comércio eletrônico por duas perspectivas: de quem compra e de quem vende.

Os consumidores geralmente não fazem ideia de tudo que está por trás do site ou aplicativo em eles compram os produtos. 

Para eles, o e-commerce é como um grande shopping em que é possível circular por várias lojas, olhar as vitrines, pesquisar produtos e comparar preços.

Como a compra é à distância, a principal diferença em relação às lojas físicas é que não é possível experimentar os produtos. 

Então, os clientes podem visualizar fotos e vídeos do produto no site, ler as descrições detalhadas e saber as opiniões de outros clientes para embasar sua decisão de compra.

Quando o cliente escolhe uma loja, ele deve selecionar os produtos que deseja comprar, adicionar na sacola ou no carrinho e finalizar a compra no checkout do e-commerce. 

Nesse momento, é preciso preencher os dados pessoais, de endereço e pagamento, para finalizar a compra e, depois do prazo determinado pela loja, receber o produto em mãos.

Para os vendedores, o e-commerce funciona como qualquer negócio, que precisa de planejamento e estrutura, mas que efetua suas vendas pela internet.

Os lojistas podem criar sua própria loja virtual ou aplicativo de vendas, inserir seus produtos em marketplaces ou até usar as redes sociais para vender.

Nessas plataformas, o vendedor deve inserir seus produtos, criar menus e categorias, usar imagens atrativas e criar um layout que ofereça a melhor experiência de compra ao cliente.

Além disso, as ferramentas de vendas também oferecem um ambiente de gestão da loja, que permite organizar as vendas, receber os pedidos e controlar o desempenho do negócio.

A escolha da plataforma é essencial, mas mais importante ainda é estruturar a gestão do negócio.

Áreas de marketing, estoque e logística, são especialmente, as mais determinantes para o sucesso do seu e-commerce.

 

Quais as vantagens de ter um e-commerce?

Vender pela internet já é um hábito dos consumidores e uma grande oportunidade de negócio para os vendedores. 

É possível vender para mais pessoas, envolver os clientes, reduzir custos, entre outras vantagens que vamos ver a seguir.

Mas isso não quer dizer que seja fácil. Como dissemos, ter um e-commerce traz desafios de gestão como qualquer outro negócio, além de dificuldades específicas das vendas online.

A seguir, vamos entender melhor quais são as vantagens de ter um e-commerce, mas também os desafios que isso traz.